Bem vindo e fique a vontade. Agradecemos qualquer comentário, sugestão, crítica ou colaboração.

domingo, 13 de dezembro de 2015

Entrevista com Yonami Paulo Teles

Com a abertura de uma exposição, com cerca de 80 artes oficiais para editoras consagradas como Marvel, DC Comics e Dynamite, o estúdio House 137 começa sua projeção no mercado de sua cidade natal - Manaus. Com uma linha de ilustradores, arte finalistas, estagiários, coloristas e designers, que teem como parâmetro o padrão internacional, o estúdio demonstra maturidade no trabalho apresentado. Dois talentosos amazonenses dirigem o grupo, com o empenho de quem está apenas começando a escrever essa história, e ainda teem muito a mostrar. Jucylande Júnior e Yonami Paulo Teles conseguiram transformar seus hobbys em sonhos realizados, com muita paixão naquilo que fazem de melhor.
Abaixo, Yonami (que já publicou para Stone Arch Books, Glyph Productions, Galaxy Graphix, Dynamite, Marvel e DC Comics) fala um pouco de sua arte, do incrível trabalho da House 137, da participação em eventos como Festival Internacional de Quadrinhos e Comic Com Experience, da exposição OS FORASTEIROS DA AMAZÔNIA, que terá sessão de autógrafos, além de dar provas de que isso tudo será apenas o início, de muito que ainda virá por aí.

Clube dos Quadrinheiros de Manaus: Quantos e quais artistas compõem o estúdio House 137?
Yonami: Cerca de 12 artistas e 6 estagiários.
- Yonami (agente, ilustrador, web e sócio);
Yonami Paulo Teles marcando presença
na Comic Con Experience com o House 137
- Jucylande Jr. (gerente, ilustrador e sócio);
- Emanuel Braga (web, arte finalista e ilustrador);
- Thiago Rocha (colorista e ilustrador);
- Jahn Cardoso (arte finalista e ilustrador);
- Al Ramon (ilustrador);
- Cesar Edgar (colorista e ilustrador);
- Daniel Lima (ilustrador);
- Vicente Moavero (ilustrador);
- Diego Mendes (ilustrador);
- Ananda Ferreira (ilustradora);
- Gregory Oliveira (ilustrador);
- Glaucio Silva (designer e estagiário);
- Raquel Teixeira (estagiária);
- Erika Yukari (estagiária);
- Rogério Vieira (estagiário);
- Fabian Iturri (estagiário) e
- Deborah Colares (estagiária).

C.Q.M.: Quais os trabalhos mais relevantes do estúdio House 137?
Yonami: Até então os trabalho nos quais mais nos destacamos foram os cards promocionais de filmes da Marvel Studios (Avenger 2 - Age of Ultron”, “Ant Man), cards DC (Super Villains), quadrinhos fantásticos para editoras européias (Rage) e capas para Dynamite (“The Blood Queen” e “Dejah Thoris”).

C.Q.M.: A que se atribui a versatilidade do estúdio House137 em atuar com cards, quadrinhos e cinema?
Yonami: Duas das coisas com as quais mais precisamos nos preocupar ao trabalhar com quadrinhos, é justamente a adaptação a um trabalho enviado por um editor e a agilidade. Esses são pontos fundamentais para qualquer trabalho. Como agente da Glass House Graphics, acabei aprendendo isso com David Campiti, e atribuí à minha equipe, aplicando exercícios e estabelecendo prazos para todos os artistas da equipe.

C.Q.M.: Fale da diferença de traços que o estúdio House 137 apresenta.
Yonami: Até então trabalhamos com vários estilos, principalmente os que mais se aplicam ao independente, nos dando uma variação enorme entre nossos artistas. Posso dizer que dificilmente não haveria trabalho ao qual não pudéssemos nos adaptar. Por outro lado, dadas exigências de mercado, também temos artistas focados nos estilos mainstream (Marvel e DC). Obviamente, cada um de nossos artistas possui um traço com o qual mais se identifica e acaba lhe proporcionando mais facilidade para trabalhar. Como disse Stan Lee: "Estilo é tudo aquilo concebido aos olhos do desenhista", em outras palavras, é algo tão pessoal que não conseguimos definir em poucas palavras.
Como diria Bruce Lee: “Sejamos como a água, e nos adaptemos a qualquer coisa”.

C.Q.M.: O que será apresentado na Exposição OS  FORASTEIROS DA AMAZÔNIA?
Yonami: Teremos obras diversas, dentre as quais destacam-se nossos principais trabalhos para Marvel, DC, Dynamite, independentes e muitas artes de acervos pessoais dos próprios artistas, como pinups, designs de personagens, páginas, trabalhos em preto e branco, além, é claro, de 4 obras dos nossos artistas convidados - Carlos Furuzono, Ronilson Freire, Manuel Preitano e Catherine Koht

C.Q.M.: Agora referindo-se ao traço de Yonami Teles, qual a maior influência?
Yonami: Tenho várias influências em cada aspecto do meu estilo. Gosto de dizer que peguei bastante dos artistas que mais admiro, como a força de Joe Madureira, a elegância de Chris Bachalo, a graciosidade de Alessandro Barbucci e, principalmente a narrativa FENOMENAL de Will Eisner, o PAI dos quadrinhos. Além de toda essa gama de artistas em meus trabalhos, o movimento Art Nouvéau também é muito presente nas linhas e formas que uso e nas composições para minhas capas.

C.Q.M.: Qual a sua arte que você a tem como a sua "Mona Lisa"? A sua obra prima que lhe orgulha em ter feito.
Madika Leona na arte que Yonami tem como sua "Mona Lisa"
Yonami: A arte que mais gosto, particularmente, foi um desenho que fiz há pouco tempo, quando precisava desenvolver uma capa para minha série - Midnight Witch - com minha personagem Madika Leona. Parei por um instante e pesquisei os principais trabalhos de Alphonse Mucha, que desenvolvia cartazes maravilhosos no começo do século XX em estilo Art Nouvéau e resolvi agregar isso neste trabalho. Fui atrás de imagens da cantora que me inspirou a desenhar Leona (dez anos atrás), estudei suas principais características expressivas (seu olhar, seu sorriso, etc) e fiz uma pinup com a qual me surpreendo até hoje. Como se não fosse o bastante, pedi para o concept artist finlandês Mikko Kautto colorir a imagem e o resultado (honestamente), foi muito além das minhas expectativas. Acredito que foi quase a mesma sensação que o doutor Frankenstein teve ao ver que sua criação "ganhara" vida. Estou mandando ela em anexo.

C.Q.M.: No seu ponto de vista, como se encontra o mercado de quadrinhos em parâmetros nacionais e internacionais?
Yonami: Recentemente tive conversas com artistas, autores e editores nacionais que me expressaram opiniões interessantes, fora o fato de que testemunhei, em eventos como o FIQ (Festival Internacional de Quadrinhos) em BH e CCXP (Comic Con Experience) em SP, o QUANTO o mercado independente brasileiro está crescendo. São muitos os autores que estão produzindo e publicando por conta própria, e é incrível o quanto as editoras nacionais estão facilitando isso. Posso estar enganado, mas suspeito (isso é uma opinião pessoal) que devido à crise, as editoras deram uma freada nos títulos licenciados devido à alta do dólar e resolveram apostar no que é mais "barato", e finalmente se atentaram à qualidade dos quadrinhos nacionais. 
Quanto ao mercado internacional, devido às obras adaptadas para o cinema, o mercado mainstream tem crescido bastante, tanto na América quanto na Europa. Em vista disso sempre há trabalhos disponíveis para aqueles que mais se destacam, como por exemplo, tenho artistas na Glass House que já trabalharam em séries como Doctor Who para a Titan Comics, séries como The Evil Within da Bethesda, entre tantas outras franquias de grandes nomes dos games e da TV.

CQM: Quais as próximas metas da House 137 a pequeno, médio e longo prazo?
Yonami: A curto prazo queremos lançar um de nossos próprios títulos independentes, via crowdfunding, junto à editoras nacionais e/ou internacionais, graças a meus contatos no exterior, e publicá-lo como uma série regular com destaque para artistas famosos do mercado internacional em nossas capas principais. 
A médio prazo pretendemos promover nosso estúdio com exposições, palestras e oficinas em eventos em Manaus e no Brasil, bem como já marcamos presença em eventos como a Comic Con Experience 2015 (foto em anexo) e agora, em Os Forasteiros da Amazônia. Já temos previsão para outros eventos que serão divulgados mais pra frente.
A longo prazo desejamos fazer de Manaus um pólo de criação de quadrinhos, com artistas trabalhando tanto para o mercado nacional e internacional, o que eventualmente será consequência das metas citadas acima.

C.M.Q.: Deixe seus contatos e um recado para o público da exposição  OS FORASTEIROS DA AMAZÔNIA.
Yonami: Quem quiser entrar em contato com a House 137 pode nos escrever em - contact.house137@gmail.com ou jyo.woo@gmail.com ou na nossa fanpagewww.facebook.com/house137
Contamos com vocês em nossa exposição e, PRINCIPALMENTE na nossa sessão de autógrafos na manhã do dia 19 de dezembro (sábado), onde faremos sketches gratuitos, fotos e venderemos prints autografados.
Não deixem de acreditar nos seus talentos, todos nós somos capazes se nos esforçarmos PRA VALER. Tem uma frase que eu adoro e resume muito bem nossa história como artistas "algumas montanhas são escaladas, outras são derrubadas", e é por isso que acredito que devemos derrubar um gigante diariamente, pra atingirmos nossos objetivos.