Bem vindo e fique a vontade. Agradecemos qualquer comentário, sugestão, crítica ou colaboração.

segunda-feira, 18 de abril de 2011

O Livro do Clube dos Quadrinheiros de Manaus

Certo dia, no ano de 2004, o professor Tenório Telles (escritor, poeta, dramaturgo, membro da Academia Amazonense de Letras e Administrador da Editora Valer) me chamou pra uma conversa em particular.  Imaginei: “Pronto!  Ele soube de nossos podres e pedirá nossas cabeças.  Nos chamará de maconheiros, vagabundos e tudo mais que não presta”.  Fiquei surpreso quando ele disse que veicularia uma parceria entre Editora Valer e a Editora da UFAM pra lançar um comic book do Clube dos Quadrinheiros de Manaus e ainda me convidou pra organizar o livro.  Com uma proposta irrecusável como essa, tratei de reunir o grupo e comunicar o convite.  Fiz uma seleção abrangendo o maior número de autores (dentre desenhistas e roteiristas), onde usei como critério de seleção, aquilo que considero como a obra prima de cada um e algumas poucas histórias emblemáticas do grupo.
Capa do livro ilustrada por Rogério Romahs
Já tínhamos as histórias, apenas estipulei uma ordem sequencial e comecei a coletar os originais.  Algumas não consegui por puro desleixo dos devidos autores, então tivemos de tirá-las de fanzines onde elas foram publicadas.
Começou o chato processo de edição.  Eu ia constantemente ao escritório da Editora.  Pegava chá de cadeira de quarenta minutos a uma hora pra escutar o funcionário dizer: “Olha, o trabalho está ficando assim.  Me diz o que tu acha e eu altero depois porque agora estou ocupado com o livro do Thiago de Mello”.  Ou então dizia: “Volta semana que vem, porque agora estou ocupado com a edição de um catálogo de culinária”.  Essa enrolação demorou um ano.  Eu me sentia um trapo quando tinha de ir ao escritório.  Nas reuniões já tinha gente que não acreditava mais nesse livro e alguns chegaram a comentar que isso era viagem minha e que não existia livro nenhum.
No primeiro trimestre de 2005, finalmente o livro ficou pronto.  Impresso o trabalho, verifiquei algumas falhas e outras coisas que poderiam ser melhoradas, mas o parto estava feito e o filho não poderia mais ser negado.  Fizemos uma modesta festa de lançamento no Espaço Cultural Valer, divulgamos nos meios de comunicação e distribuímos os exemplares de direto pra cada autor.  No mesmo ano o livro foi um dos representantes do Estado do Amazonas na Bienal Internacional do Livro em São Paulo e recebeu excelentes críticas da mídia em geral.  Exemplares a venda podem ser encontrados na Livraria Valer e na Livraria da UFAM.